quinta-feira, 5 de julho de 2012

CONSTELAÇÃO SOLIDARIUS - I capa e contracapa

DE: Euclides André Mance
ED: IFIBE (Brasil, Passo Fundo: 2008, 201 págs.)

CONTRACAPA
As fendas sistêmicas do capitalismo o tornam incapaz de promover a distribuição da riqueza e o bem-viver das pessoas e sociedades. Mas a economia solidária pode hackear e crakear essas fendas, de modo a reorientar os fluxos de valor econômico do sistema, para que alimentem os circuitos econômicos solidários. A subversão do sistema, assim, conduz a economia ao papel de assegurar os meios econômicos requeridos ao bem-viver do conjunto das pessoas e sociedades, de maneira justa e ecologicamente sustentável. A organização de sistemas solidários de intercâmbio econômico pode acelerar rapidamente o desenvolvimento dessa outra economia, na medida em que cria a possibilidade de integração de modalidades diversas de economia solidária em redes colaborativas, em fluxos locais e globais que fortaleçam as diversas iniciativas e promovam o desenvolvimento sustentável nos territórios em que operam. O experimento econômico internacional analisado neste livro permite supor que, sendo multiplicados os sistemas de intercâmbios solidários pelo mundo todo, integrando parte expressiva das pessoas que praticam atualmente essa outra economia, ecologicamente sustentável e socialmente justa, tenha-se o surgimento, nas próximas décadas, de uma gigantesca constelação de iniciativas de economia solidária, integradas em redes colaborativas locais e internacionais - a Constelação Solidarius. E, na medida em que isso ocorra, quanto mais essa constelação se expandir, mais capacidade de expansão terá.

CONSTELAÇÃO SOLIDARIUS - II orelha

DE: Euclides André Mance
ED: IFIBE (Brasil, Passo Fundo: 2008, 201 págs.)

ORELHA
Este livro apresenta detalhadamente as principais fendas sistêmicas do capitalismo contemporâneo e como explorá-las sob a lógica da economia solidária.
Mais do que isso, investiga as conexões existentes entre fatores econômicos e semióticos necessárias à reprodução do capitalismo. Esclarece como se fundam socialmente os valores e a relação existente entre meios econômicos, valores econômicos e os signos instituídos socialmente para a sua representação - que tanto viabilizam os fluxos de valor econômico pelo sistema, quanto permitem gerar capitais virtuais que se avolumam nos períodos anteriores aos cracks sistêmicos, que se dissipam durante sua ocorrência e que, por fim, deixam um rastro de dívidas impagáveis, contratos quebrados e ônus a serem assumidos pelos Estados.
O livro desvenda, de modo claro e consistente, o processo de produção e concentração de valor econômico na etapa atual do capitalismo, que combina as formas tradicionais de exploração do trabalho na produção de bens tangíveis e que institui novas formas de exploração dos trabalhadores na economia do conhecimento, na economia dos bens intangíveis. Propõe, igualmente, alternativas estratégicas para a expansão sistêmica da economia solidária como um novo modo de produção, economicamente viável, ecologicamente sustentável e socialmente justo.

CONSTELAÇÃO SOLIDÁRIA - III sumário

DE: Euclides André Mance
ED: IFIBE (Brasil, Passo Fundo: 2008, 201 págs.)

SUMÁRIO
Agradecimentos 7
Introdução 9

CAPÍTULO 1
AS FENDAS DO CAPITALISMO E SUA SUPERAÇÃO SISTÊMICA

1. As fendas do capitalismo 13
2. A superação sistêmica do capitalismo 62
2.1. O valor econômico e sua mensuração 72
2.2. A atribuição do valor econômico em relação às suas formas de apropriação 78
2.3. Inocular pelas fendas do capitalismo o seu antagônico 91

CAPÍTULO 2
A ECONOMIA SOLIDÁRIA E A EMERGÊNCIA DE SISTEMAS ECONÔMICOS PÓS-CAPITALISTAS

1. Economia solidária – histórico recente e definição teórico-prática 109
2. Impactos e horizontes econômicos, ecológicos, políticos, sociais e culturais 112
3. Horizontes estratégicos 121

CAPÍTULO 3
SISTEMAS DE INTERCÂMBIOS SOLIDÁRIOS

1. Uma introdução geral 125
1.1. Princípios e valores 126
1.2. Histórico e objetivos do Sistema de Intercâmbios Solidarius 129
1.3. A metodologia do Sistema de Intercâmbios Solidarius 135
2. Fundamentação 146
2.1. A unidade solidária de valor econômico e o poder de compra distribuído nas nações 146
2.2. Unidade Solidária de Valor Econômico e os Créditos Solidarius 156
2.3. Aspectos da metodologia 159

CAPÍTULO 4
HORIZONTES ESTRATÉGICOS

1. Integração estratégica das diversas modalidades de economia solidária 167
2. Fundo Mundial de Economia Solidária e meios econômicos efetivos 183
3. Fluxos globais de valores econômicos solidários 183
4. Aquisição solidária dos títulos das dívidas públicas pelo fundo mundial e a reconstrução das soberanias nacionais 184
5. Geração de trabalho e renda e redução da jornada de trabalho em escala planetária 186
6. Transformação sistêmica de empresas capitalistas pela adoção dos princípios éticos, organizativos e operativos da economia solidária 187
7. Expansão do desenvolvimento sustentável e conversão para uma nova matriz energética 188
8. Fortalecimento da democracia participativa na esfera econômica e política 189
9. Promoção do bem-viver de cada pessoa e da paz entre os povos 191
10. A Constelação Solidarius 192

CONCLUSÃO 195
Referências bibliográficas 199

CONSTELAÇÃO SOLIDARIUS - IV autor

DE: Euclides André Mance
ED: IFIBE (Brasil, Passo Fundo: 2008, 201 págs.)

SOBRE O AUTOR
EUCLIDES ANDRÉ MANCE, 1963, é filósofo e fundador do Instituto de Filosofia da Libertação - IFiL. Lecionou na UFPR na década de 90. Foi professor de Lógica, Semiótica e Filosofia Latino-Americana. Participou da criação da Central de Movimentos Populares e da Rede Brasileira de Sócio-Economia Solidária. Atuou como consultou em projetos da Unesco e da FAO relacionados ao Desenvolvimento Sustentável no Programa Fome Zero. Criou o portal Rede Solidária em 1999 e o portal Solidarius em 2006. No período de 2007 a 2008 conduziu o experimento de intercâmbios solidários que é analisado neste livro. Sua obra filosófica e econômica está traduzida a vários idiomas. Entre seus estudos publicados elencam-se os livros A Revolução das Redes (Vozes, 1999), Como Organizar Redes Solidárias (DP&A, 2002), Redes de Colaboração Solidária (Vozes, 2003) e Fome Zero e Economia Solidária (IFiL, 2004).

IMAGEM encontrada em... www.bionero.org

domingo, 1 de julho de 2012

filme ÁGORA (Hypatia, Espanha 2009)

Filme: ÁGORA (Hypatia, Espanha 2009)
Direção: Alejandro Amenábar
Roteiro: Alejandro Amenábar e Mateo Gil
Atores: Rachel Weisz, Max Minghella e Oscar Isaac

Drama histórico, situado no Egito Greco-Romano do início da nossa era cristã, que biografa a vida da renomada filósofa, astrônoma e matemática HIPÁTIA DE ALEXANDRIA (360-415 d.C.). Hipátia era professora na escola da Biblioteca de Alexandria, uma das sete maravilhas do mundo antigo criada por Ptolomeu I, e em cuja ÁGORA se reuniam os principais cientistas, poetas, artistas e sábios da cidade.

Por defender a liberdade de pensamento e o conhecimento científico, próprios da ÁGORA antiga, HIPÁTIA atrai as manobras ambiciosas e ardilosas de Cirilo, líder da crescente e intolerante onda religiosa: além de promover o fim da maravilhosa biblioteca, ele torna Hipátia impopular perante a multidão de cristãos, que a arrasta para dentro de uma igreja e a faz brutalmente assassinada por apedrejamento em Março de 415.

Historicamente, o catolicismo foi o responsável pelo fechamento dos templos, que depois disso transformaram-se em monastérios ou igrejas. As imagens dos velhos deuses e faraós, consideradas demoníacas, foram destruídas. Os papiros, mantidos nas bibliotecas dos templos, tornaram-se combustível para a intolerância e foram queimados.

* IMAGEM encontrada em... http://windmillsbyfy.wordpress.com/2010/02/22/uma-sacola-verde/